terça-feira, 16 de junho de 2009

ENTREVISTA MESTRE YOUNG SOOL CHOI


Capitulo I

Entrevista com Mestre Young Sool Choi

Promessa é divida!

Prometemos postar uma série de matérias sobre a história do Hapkido, e aqui esta.

Neste primeiro capitulo, trazemos para você uma entrevista com Mestre Young Sool Choi.

Essa entrevista no ano de 1982 em uma viagem aos Estados Unidos. Onde Mestre Young Sool Choi, foi participar de uma apresentação de Hapkido.

Nos dias em que esteve em solo americano, Mestre Choi concedeu uma entrevista a uma revista de artes marciais de grande circulação do país.

A partir dessa entrevista podemos criar uma projeção do surgimento da história do Hapkido e qual os caminhos que levaram o Hapkido a ser o que é hoje.

Vamos a entrevista

Sr. Choi, fundador e mestre do Hapkido Coreano, discutiu sua história pessoal. Entrevista dada durante sua visita nos Estados Unidos em Junho de 1982.


P: Sr. Choi, sob quais circunstâncias você foi morar no Japão?

R: Quando eu era criança, eu morava na vila Young Dong, na província Choong Chung, na Coréia. Naquele tempo haviam muitos japoneses na minha região devido a ocupação japonesa na Coréia.

Eu tornei-me conhecido do Sr. Morimoto, que era um homem de negócios japonês e dono de uma loja de doces. Morimoto não tinha filhos. Quando foi o tempo dele retornar para

o Japão, ele me raptou e levou-me com ele, pretendendo que eu tornasse seu filho. Eu gostei deste homem e devido ao meu constante protesto de choro, ele me abandonou na cidade de Moji logo após chegarmos ao Japão. De Moji eu viajei sozinho para Osaka. Eu logo caí no desespero e enquanto eu chorava, eu fui pego pelo polícia. As autoridades descobriram que eu não

tinha parentes no Japão, eles me mandaram para um templo budista. Eu vivi lá por cerca de 02 anos, sob os cuidados do monge Wadanabi Kintaro.


P: Com quantos anos você foi raptado?

R: Eu tinha cerca de 08 anos de idade.


P: Quais circunstâncias te levaram a casa de Sokaku Takeda?

R: Enquanto morava no templo, eu fiquei fascinado pelos murais de batalhas e pinturas de cenas famosas de artes marciais espalhadas pelo templo. Quando chegou o momento, Wadanabi me perguntou

que direção eu queria que minha vida tomasse. Eu imediatamente apontei para uma cena na parede

mostrando uma arte marcial e disse que era isso que eu queria ser. Wadanabi Kintaro era um amigo próximo de Sokaku Takeda e me apresentou a ele. Sokaku Takeda gostou de mim e, sentindo grande simpatia pela minha sitação, decidiu me adotar. Na adoção, me deu o nome japonês de Yoshida Assao. Eu tinha cerca de 11 anos naquela época.


P: Em qual cidade ficava o tempo budista em que você morou?

R: Kyoto


P: Em qual região se localizava a casa e a escola de Sokaku Takeda?

R: Sua casa e escola ficavam na montanha Shin Su, na região de Ikeda.


P: Qual foi a natureza de seu treinamento com Sokaku Takeda?

R: Sokaku Takeda foi a “cabeça” do Daito Ryu Aiki-Jujutsu. Eu morei em sua casa e aprendi sob sua direção pessoal durante trinta anos. Eu fui seu constante aluno, e por 20 anos de treinamento, eu estava seguro em sua casa na montanha.


P: Takeda foi o professor da família real Japonesa. Você se envolveu pessoalmente no ensino à família real?

R: Sim, naquela tempo eu era o assistente do meu professor em todas as suas instruções. Enquanto estávamos em Tóquio, também ensinamos altos oficiais do governo dentro de seu “círculo palacial”. Além disso, viajamos para várias partes do Japão e ensinamos seletos grupos de pessoas.


P: Você alguma vez deixou o Japão com Mestre Takeda para alguma exibição ou ensinamento fora do Japão?

R: Sim, quando eu tinha cerca de 28 anos, foi arranjado por políticos que meu professor e seus melhores alunos viajarem para o Havaí, para fazer uma turnê de exibições.


P: Qual era o seu status pessoal nesta turnê?

R: Eu era o líder do time de exibições sob direção do meu professor.


P: Quantas pessoas compunham o time de exibições e você poderia citar os nomes de alguns participantes?

R: Durante a turnê havaiana éramos cinco: Sokaku Takeda, eu (Yoshida Assao), Abida Jintaro e dois outros participantes cujos nomes eu não consigo lembrar.


P: Existiu alguma mudança significativa na sua vida depois que você voltou do Havaí?

R: Não, nós continuamos a fazer turnês e ao mesmo tempo, continuei aprendendo com as instruções do mestre Takeda.


P: Como sua vida foi afetada pelo bloqueio da segunda guerra mundial?

R: A Segunda Guerra Mundial mudou as coisas de diversas formas. Meu professor e eu trabalhamos para o governo capturando militares desertores que queriam se esconder nas montanhas próximas à nossa casa. Nós devíamos entregar estes homens, desarmados, para as autoridades. As mudanças mais significativas aconteceram durante o final da guerra. O Japão estava perdendo a guerra e num último esforço desesperado, o governo instituiu um militar especial que chamaram a maioria dos artistas marciais proeminentes daquela época. Estas pessoas altamente treinadas foram selecionadas em unidades especiais do tipo guerrilha que foram dispersas na zona da guerra. Todo o corpo interno do Daito Ryu Aiki-Jujutsu foram militares exceto Takeda e eu. A maioria foi morta na luta final da guerra.


P: Por que você não foi militar junto com os outros?

R: Eu iria ser militar, mas Sokaku Takeda interveio. Através de seu status e influência, ele me hospitalizou para uma pequena cirurgia. Ele parou o processo de minha convocação e me impediu de ser militar. Ele me impediu de ser colocado na guerra pois ele sentiu que se eu fosse morto, Daito Ryu Aiki-Jujutsu seria perdido em sua forma completa depois de sua morte.


P: Quantas técnicas separadas Sokaku Takeda desenvolveu e se tornou mestre em seu sistema?

R: 3808.


P: Quantas destas técnicas você pessoalmente se tornou mestre?

Logo ante de morrer, meu professor me informou que eu fui o único aluno que ele ensinou todos os seus segredos e técnicas.


P: Você sabe as circunstâncias da morte do Sokaku Takeda?

R: Sim, ele terminou sua vida recusando-se a comer.


P: Por que ele fez isso?

R: O Japão nunca antes havia sido derrotado numa guerra. Sokaku Takeda sentiu uma grande vergonha e “perda da face” havia sido perpetrado em seus ancestrais samurais pela derrota do Japão pelas mãos da Aliança. Sendo um homem de liderança, ele sentiu uma grande responsabilidade pessoal nesta derrota. Devido a este forte sentimento, ele decidiu que o único caminho honroso seria acabar com a vida.


P: Mestre Takeda fez alguma declaração final antes de sua morte?

R: Ele se despediu de mim e me falou do meu desejo de longo tempo de voltar para Coréia. Ele me ordenou a fazer isso. Ele estava preocupado que, devido à minha posição em sua casa e à minha descendência coreana, que eu seria assassinado se permanecesse no Japão. Se eu permanecesse depois de sua morte, para ser seu sucessor, teria sido muito perigoso.


P: Quando você retornou para a Coréia?

R: Eu retornei a minha casa logo após a morte de Sokaku Takeda.


P: Onde na Coréia você esta situado?

R: Nós estávamos situados na província de Taegu Kyung Buk. Ali eu estabeleci meu primeiro Dojang na Coréia e fiz minha casa desde então. Depois de retornar, eu mudei meu nome novamente para Young Sool Choi e o nome da minha arte para Hapkido.

No próximo capitulo da história do Hapkido.

Publicaremos a vida de quem foi Mestre Sokaku Takeda.

2 comentários:

Murilo Sousa Leão disse...

Olá, li a entrevista, achei muito interessante, estou aguardando o próximo capitulo.

Igor disse...

Ótimo Artigo!! Muito esclarecedor!

Abç!